fbpx

Conteúdo jurídico semanal
para você se manter informado!

EMais

colunistas

Trabalhando com microrresoluções

Você sabia que 90% das nossas resoluções fracassam? E o motivo é muito fácil de identificar: a maioria das pessoas está acostumada a listar metas de uma maneira muito abstrata, de olho no resultado e não no caminho que deverá percorrer até alcançar o seu objetivo. Os nossos projetos naufragam porque não tomamos a decisão de dividi-los em tarefas menores. As microrresoluções entram aí, fazendo com que a gente dê um passinho por vez rumo à concretização de tarefas maiores.

As microrresoluções nada mais são do que compromissos que você assume quando deseja mudar um padrão de comportamento e alcançar um objetivo. Ao contrário do “ser”, as microrresoluções focam no “fazer”, ou seja, você deixa de encarar a sua meta como algo abstrato, que parece difícil demais de alcançar ou simplesmente não acontece na velocidade que você gostaria (então, você desiste), e começa a focar em pequenas tarefas que, somadas, a levarão a alcançar o seu objetivo.

As vantagens das microrresoluções:
• Podem ser administradas;
• Podem ser mais facilmente mantidas;
• São mais fáceis de ser executadas;
• Dão-nos mais motivação para alcançarmos o que desejamos.

Essa é uma técnica que pode ser utilizada por todos aqueles que precisam modificar um comportamento ou aperfeiçoar um hábito. Não importa se seu objetivo é ler mais, passar num concurso ou subir de cargo no seu trabalho ou ainda juntar dinheiro para viajar, as microrresoluções podem ajudar você a parar de fracassar, de ficar no meio do caminho e alcançar os seus objetivos.

O truque aqui é não dar um passo maior do que você pode dar. Crie microrresoluções realistas e possíveis de executar e mantenha o foco nelas. É basicamente trabalhar para mudar um padrão de comportamento por vez, para alcançar um objetivo maior e – o mais importante – mantê-lo. É sobre mudança de hábitos – e isso é algo poderoso e transformador.

Divida seus objetivos em ações intencionais até que essas ações pequenas se transformem em hábitos que trabalhem a seu favor para atingir seu objetivo. No começo haverá muita resistência, pois nosso cérebro tende a colocar no piloto automático, aquelas coisas corriqueiras de todo o dia, a fim de poupar energia.

O piloto automático vai querer que o hábito antigo prevaleça, pois é mais econômico. Mas é só driblar esse mecanismo sendo insistente e perseverante até que o cérebro armazene e transforme em automático o seu novo hábito vencedor.

Como exemplo, escreva numa folha de papel metas e objetivos com uma pequena mudança que você deseja fazer na sua vida. Vamos supor que você queira ser mais organizada. Que tal começar definindo um lugar para cada objeto da sua mesa de trabalho? Não comece pela casa toda. Comece por um pequeno espaço. Deixe sobre a mesa apenas o que utiliza e estabeleça um lugar na mesa para cada coisa. Pode parecer bobo, mas ajuda muito. Depois você pode aplicar isso aos outros cômodos da casa. Quando menos esperar você não conseguirá deixar mais nada fora do lugar.

Para refletir:
“A chave para a transformação duradoura não está na velocidade ou na força, mas no cultivo dessa mudança.” 
Caroline L. Arnold

COMPARTILHE COM ALGUÉM
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
COMENTÁRIOS

Carrinho

0

Nenhum produto no carrinho.

Tecle Enter para pesquisar e Esc para fechar